Wednesday, 13 February 2008

Divagações

Ignorando completamente as aparentes limitações que a interface do blogger aparenta possuir, ainda é possível que seja inexperiência parcial minha, vou escrever. Portanto se o texto aparecer sem paragrafações, queiram desculpar. Pode parecer tolo, mas estou procurando respeitar uma linha que propus na descrição. Tenho um volume enorme de coisas a falar e, como ouvir minhas ideias transviadas é muito cansativo, este instrumento, “completamente” guardado à pessoas que tem relativo interesse naquilo que, na maioria dos casos, está relegado à obscuridade, é excelente. /=/ Amizade: Coisa corriqueira do dia a dia... coisa jovem mesmo... Alguém já parou pra pensar em todas as implicações que um conceito tão elástico, vago, subjetivo, etc. tem em nossas vidas? Como veho consumindo tempo de pensamento tentando definir, de forma mais clara, uma naturalidade... Observando friamente é claro que minha sanha cartesiana jamais terá sucesso, afinal é imensuravel e nunca suficientemente demonstrável. Nunca sei o suficiente sobre o par e sempre acho que o par já invadiu minha vida de modo irreparável. Escárias se formam durante o comodismo e são sempre as lembranças que dificilmente cicatrizarão sem culminar em mais um quelóide que sempre lembra a separação do que era aparentemente gêmeo. Lembranças ficam, objetos ficam... São efêmeros, são limitados... Pronto; já é muito exforço de organização para a primeira.

No comments: